Meus primeiros contatos com espíritos

Olá, pessoal! Tudo bem com vocês?
No post de hoje eu quero trazer aqui alguns relatos sobre como foram minhas primeiras experiências com o mundo dos espíritos. Normalmente esses assuntos eu apenas falo abertamente em terapia ou com amigos chegados. Mas vendo muitos canais focados nas mensagens espirituais, eu sempre senti falta de mais relatos abertos de como as coisas acontecem sabe? Detalhes visuais, sensações e etc. Por mais que cada pessoa sente de um jeito e não existe certo e errado aqui, mas existem coisas em comum.

Uma coisa importante também são as esquisitices do ponto de vista carnal que essas situações trazem. Que as vezes para algumas pessoas pode parecer absurdo, mas relaxa aí. Eu já vivenciei muitas situações estranhas, então não duvide das suas experiências, porque existem muitas coisas entre o céu e a Terra, que nossa mente ainda pena em processar.

Projeção intrauterina

Isso mesmo que você leu no título. Certa vez conversando entre família, eu fiz um relato de uma situação que ocorreu o que para mim, seria em minha fase de criança, que foi o seguinte: morávamos na periferia, e muita coisa ruim acontecia. A rua era de terra e terra de ninguém. Um homem foi ferido a bala e largaram o infeliz à frente do portão de nossa garagem, com um tijolo em seu peito e ali ele agonizou noite adentro.

Bom, eu vi essa cena. Debruçada do parapeito da janela da sala. Lembro bem do som, da visão. De tudo. Como se fosse ontem.

Para espanto de minha mãe, ela disse ser impossível. Eu estava na barriga dela, de uns 7 ou 8 meses. Diz ela que nessa noite, ouve um momento em que sua barriga ficou dura e eu parei de me mexer. Acharam até que ela ia entrar em trabalho de parto.

Mas era só eu dando uma espiada na situação. Memória de elefante que dizem?

Um senhor morava no telhado da minha casa

Todas as noites minha mãe me botava para dormir. Ela me ninava todo santo dia. Eu devia ter uns dois aninhos, mas lembro sempre da música tocada em um órgão (igual aqueles de filmes macabros rsrs). Toda noite lá estava a música – a mesma melodia macabra – que minha mãe insistia em dizer que era coisa da minha cabeça ou que era o gato fazendo barulho no telhado (?)

Como eu sabia que era um senhor? Eu via a imagem dele em minha cabeça.

Um alienígena tentou me sequestrar?

Quando devia ter uns 5 anos de idade, estava um dia dormindo com minha mãe no mesmo quarto, quando acordei assustada.
Meu corpo não se mexia (catalepsia do sono). Apenas minha cabeça e meus olhos podiam se mover. Eu comecei a ficar com medo e a respirar muito curto e rápido. Quando olhei na direção da porta (que estava aberta), vi um ser parado ali.
Se você sabe a diferença entre ver um espírito a olho nu, mas que está ali com seu corpo energético completo e aquele que está se materializando para atuar no mesmo nível de matéria que você, vai me entender.

A entidade era só um contorno. Ao invés de estar com seu corpo astral, materializou apenas seus contornos para ficar no mesmo nível de frequência / matéria em que eu (nós) estava. Como esse feito requer um grande número de energia e magnetismo, ele apenas materializou algumas linhas brancas que formavam a silhueta de uma cabeça, um tronco, pernas e braços. Os braços eram palitos, com dedos em palitos. Parecia um desenho de criança.

Ele esticou o braço e sem sair do lugar, alcançou sua mão até mim. A distância entre eu e a porta era de mais de 2 metros, então seus bracinhos ficaram bem compridos. Seus dedos finos alcançaram o colarinho da minha camiseta, que chegou a ser puxada pra cima. Sem nenhum efeito em me mover do lugar, ele soltou, recolheu o braço, virou e saiu.

Meus movimentos corporais voltaram e na hora eu consegui balbuciar ‘mãe’ o que fez ela acordar assustada. Contei o que acabara de ocorrer, mas ela achou que era um pesadelo e me mandou dormir.

Eu até hoje não sei se ele estava ali para me dar um aviso ou se queria me assustar ou mesmo até me tirar dali.

Mulher vista a olho nu

Um dia estava brincando na porta da cozinha que dava para nosso quintal, quando vi uma mulher subindo da garagem e parando para ver a frente da casa. Ela ficou olhando minha casa, ali do quintal e quando viu que eu conseguia a enxergar, franziu a testa, entortou um pouco a cabeça confusa, mas deu de ombros e subiu as escadas para entrar na casa da minha tia.

Por um momento, achei que pudesse ser minha própria tia (irmã de meu pai), pois a mulher era muito parecida. Mas logo vi que não era, porque ela estava usando um modelo de óculos que minha tia não tinha. Também porque percebi que ela tinha um ar de espírito.

Sai correndo para dentro da casa e quando voltei minutos depois, senti que ela já tivesse ido embora.

Tempos depois refletindo sobre isso com minha mãe, ela acha que eu posso ter visto minha falecida avó que nunca pude conhecer.

3 crianças invisíveis me chamando para brincar

Meu último relato desse post (tem mais, mas vou separar para outros posts), é uma vez em que eu estava brincando na laje da minha antiga casa. Eu adorava brincar de escolinha e na maior parte do tempo, era sozinha mesmo.

Eu havia adaptado uma mesinha de madeira escorada com blocos de tijolo, e ficava horas ali lendo, desenhando e escrevendo nos meus diários.

Nessa época, mesmo que ainda na periferia, o bairro havia crescido e muito mais pessoas moravam ali. A rua era sempre barulhenta, muitas crianças. Então não foi a toa quando eu ouvi 3 crianças brincando, rindo e cochichando, achei que era o vento levando o eco das crianças na rua, para dentro de casa.

Foi só quando elas começaram a se dirigir a mim, chamando-me para brincar, rindo e fazendo ‘psiu’ que eu vi que elas na verdade estavam a poucos metros de mim. Eu não as via, apenas ouvia. Mas nem precisava. 10s depois eu já estava com meus caderninhos na mão, correndo escada abaixo atrás da minha mãe.

Pessoal, importante ressaltar alguns pontos desses relatos:

  1. Não podemos condenar as atitudes de negação da minha família. Pois eles eram tão ignorantes no assunto e tinham tanto medo quanto eu – notadamente minha mãe. Por mais que eu gostaria que as coisas fossem diferentes, sobre novos pais, aproveitem para fazer diferente com seus filhos.
  2. Não é objetivo aqui contar contos para causar medo, mas sim, para trazer proximidade de ‘você não está sozinho’. E informação é luz e a evolução é só pela verdade. Essa foi minha verdade, quais foram as suas?

Você teve alguma experiência marcante na sua vida envolvendo espíritos ou seres extraterrenos? Gostaria de ouvir seus relatos.

Fiquem ligados nos próximos posts.

Beijos de Luz

2 Comments

  1. Amei os relatos e bem curtinhos o que dá vontade de ler o próximo e o próximo e querer ver mais, aguardo os próximos!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s