Minhas reflexões sobre o Karma

Há um bom tempo venho refletido e pensado sobre o assunto Karma / Carma.
Nem queria aqui me prender muito ao significado etimológico da palavra – que sabemos vir do sânscrito – mas me refiro mesmo a dinâmica dele; a aplicabilidade prática.

Algumas pessoas dizem – e até os espíritos mentores – que carma não é castigo, nem punição. Mas que ele se molda como um caminho de aprendizado, ditado pelo espírito próprio encarnado – ainda na fase de preparação da encarnação que viria – e assistido por seus amigos espirituais que aqui, em Terra, tornam-se seus mentores espirituais.

Entendo também, que dentro de tudo isso, ainda existe o conceito de termos o Dharma – aquela parcela positiva mesmo de energia que doamos e recolhemos do Universo.

Ambos – Carma e Dharma – seguindo as inabaláveis e indiscutíveis Leis da Causa / Efeito e Afinidade.

Refleti muito mesmo sobre esses princípios, valores e resultados, comparando principalmente ao meu processo pessoal e a dos meus irmãos de caminhada nesse momentum cósmico, em planeta de expiação e provas que se encontra a Terra. Observando as dificuldades alheias além das minhas, comecei a questionar internamente também o outro lado da moeda, que em estado de dor e sofrimento, ainda sente na pele que Carma é sim, uma punição.

Dito tudo isso, gostaria muito de deixar aqui, as minhas humildes considerações sobre esse tema tão complexo e tão simples ao mesmo tempo. Sabendo eu, ainda aprendiz na minha caminhada espiritual e, como criança cósmica, não afirmo e nem confirmo nada, mas sim, questiono o que me é posto e balanceio com as Verdades que ressoam dentro de mim.

Existe um código que dizem ter sido criado pela Grande Fraternidade Branca, para garantir diretrizes iluminadas de todos os seres deste Universo (ou dessa galáxia, devido ao seu nome) que é o Código Galáctico.

Quem já ouvir falar dele, sabe que são Leis que garantem a segurança e liberdade em muitos planetas livres da nossa galáxia. Mas que em planetas ainda em estado de escravidão por raças que ainda dominam – ou tentam – nossa Sagrada Liberdade, controlam nossa percepção e Livre Arbítrio, como acontece na Terra, essas Leis ainda não imperam. Vou deixar essas Leis aqui para vocês lerem depois.

Em meu entendimento, essas Leis ainda são necessárias – assim como toda Lei – porque existem Consciências em discordância com as Leis Divinas e a Luz precisa proteger os seus.

Vamos nos lembrar também dos ensinamentos de Cristo, dos mestres Ascencionados, da Fraternidade Branca, da Confederação Galáctica e tantos seres de Luz que estão sempre a nos alertar sobre o Amor Puro, sobre NÃO EXISTIR EVOLUÇÃO SEM LIVRE ARBÍTRIO, sobre amarmos ao próximo como a nós mesmos, sobre caridade, sobre PERDÃO E MISERICÓRDIA.

Agora vamos pensar em um irmão que errou em uma vida. Vamos chamar ele de João. Pode ele ter roubado, tirado a vida de alguém, cometido um crime grave. Após João ter regressado ao plano espiritual e ser preparado para outra encarnação, ele se depara novamente com a pessoa que ele agrediu na vida anterior. O que deveria essa pessoa fazer? Agredi-lo de volta, porque a Lei do Retorno existe? Esperar que esse irmão faça com seu agressor o mesmo que foi feito com ele, porque a Lei da Causa e Efeito é o esperado?

Suponhamos então, que esse irmão seda à vingança ou pode até ser uma pessoa que não tem uma dívida direta com João, mas essa pessoa sentiu – AFINIDADE por ele – porque a energia de quem erra gravemente na Terra, volta para o campo magnético dela na encarnação seguinte, até que essa energia seja TRANSMUTADA. O que essa nova pessoa no caminho de João deve fazer com esse ex-agressor?

Seria sensato dizer: ‘Aqui se faz, aqui se paga’. Mas fiquei pensando… É isso mesmo que Deus quer? Ou estamos apenas reféns de consciências negativas, de nosso próprio remorso, das nossas culpas e mágoas do passado, deixando nosso destino ao encargo apenas de uma Lei Física?

Refleti muito sobre isso profundamente. Porque, se eu fui agredida ou melhor, se estou sendo assediada espiritualmente, porque machuquei outras pessoas no passado, o que eu posso fazer para quebrar esse ciclo? Perdoando meus agressores. Não porque eu acredito que eu mereça sofrer, mas porque se eu devolvo para outra pessoa minhas raivas – mesmo que essa outra pessoa tenha ‘merecido’ pela Lei da Causa e Efeito, já que ela mesma também foi ruim com outros seres – estarei gerando no campo da Terra, uma nova onda cármica, agora me enlaçando a outro grupo de pessoas, que por sua vez se enlaçarão com outro grupo e assim por diante.

A Lei da Afinidade e da Causa e Efeito, não escolhe positivos e negativos ao acaso. São Leis que atuam e reverberam automaticamente seguindo frequências e vibrações à seus donos. Então para que server a Misericórdia? O Perdão?

Para mim, é uma intervenção nessa Lei. É eu dizer a um ser das trevas que ‘NÃO’. Eu não quero continuar perpetuando o Mal. Não quero planejar uma encarnação de dor e sofrimento, só para aproveitar o embalo de uma Lei. Porque estaria eu, colocando no campo da Terra, mais negatividade, independente desta, já fazer parte do meio. Estaria eu, contando que outro irmão em erraticidade, irá aliviar minha culpa e remorso, com um ato de violência a altura do que eu cometi no passado. Que tristeza…

Eu não acredito em evolução pela dor. Acredito que seres de luz – que não são perfeitos – fazem limonada com os limões que a vida dá. É isso, ou Nada. Mas, será? Será que se nos perdoássemos mais, tivéssemos mais misericórdia, REALMENTE, o CARMA NÃO SERIA PUNIÇÃO. Seria apenas o que ele originalmente seria programado para ser: um Caminho de Aprendizado.

Essa compreensão para mim, faz todo sentido. Porque eu muitas vezes sentia, que estava sendo punida. Como dizer para uma mulher violentada, que ela está pagando seus Carmas? Como olhar para um irmão que perde um pai, uma mãe pelas mãos de outra pessoa… que aquilo era um Carma? Mesmo que eles mesmos tenham se planejado a uma encarnação difícil e complicada. Irmão, para quê se programar assim, afinal? Perdoar-se através dor, morte e sofrimento é tão mais fácil que transmutar a auto comiseração, remorso e se perdoar no Amor?

Isso ainda me consome os pensamentos muitas e muitas vezes. Porque se a dor fosse mesmo o único caminho, para que um Código Galáctico? Porque Saint Germain estar tão obstinado em nos ofertar a Sagrada Liberdade? A maior falácia que te contaram, é que você deve parar de se ver como vítima e aceitar esses processos de profundo sofrimento, porque você não foi uma boa pessoa no passado. Você NÃO MERECE SOFRER. Você acredita que merece, é diferente.

Perceba a diferença quando alguém programa uma encarnação difícil, mas com Amor, você vê um deficiente em um lar amoroso, sem fome, sem miséria. A vida não é fácil, mas ele tem Amor. Ou uma pessoa com limitações cognitivas, mas que recebe pais rodeados de amor e carinho e tem uma vida, excepcionalmente amorosa, mesmo que difícil.

O Mal e nós mesmos, criamos arapucas e armadilhas para acreditarmos diariamente, que tudo que nos aparece é por merecimento. Mas se fosse assim, você não pediria por Misericórdia e seria atendido. Até alguns espíritos de luz veem na dor, uma chance de aprendizado profundo. Fico pensando se é porque eles sabem, que nossos irmãos, não terão misericórdia de quem fomos, do que fizemos e então, em suas mãos violentas e implacáveis, teremos de lidar com as energias que geramos e tentarmos em nossos melhores, aprender que: “aqui se faz, aqui se paga”.

Talvez, a Lei do Retorno, como alguns chamam, também sirva para blindar e proteger os bons. Os que realmente merecem a bondade em seus caminhos e, separando energeticamente o ‘joio do trigo’, assim será feito.

Ainda assim, deixo aqui o convite à vocês, meus irmãos de caminhada: quantas vezes hoje, você desejou o mal a alguém? Quantas vezes praguejou algum político? Quantas emanações de ódio você direcionou para algo ou alguém? Vamos refletir sobre isso.

Que tal transmutar essas energias em LUZ? Em AMOR? Que tal pensar que aquele que causa o horror, está doente e precisa de ajuda – talvez como algum dia, você também precisou e precisa. Veja bem, se tu sofres ainda porque a Lei da Causa e Efeito impera sem misericórdia, quais rastros negativos tu deixou em seu passado para que agora eles voltem a ti? Que aquele político que tem atos inimagináveis, não precisa estar envolto de mais energias ruins… ele precisa estar rodeado de Amor. Assim, quem sabe, tomará decisões melhores para todos nós.

Que tal perdoar? Ter MISERICÓRDIA?

Jesus já dizia:

Um novo mandamento dou a vocês: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros.”  

João 13:34

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s